Entrega do Título de Cidadão Estrelense para Ademir Pivatto tem data definida. PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Qua, 19 de Fevereiro de 2020 17:09

Dr. Ademir Pivatto

 

O médico Ademir Pivatto vai receber o Título de Cidadão Estrelense no próximo dia 16 de março. A homenagem, proposta pelo vereador Márcio Mallmann (PP) ainda no ano passado, recebeu aprovação unânime da Câmara de Vereadores e aguardava a definição de data, o que só ocorreu neste ano de 2020. A Sessão Solene de Entrega do Título de Cidadão Estrelense ao médico rocassalense, que atua e mora em Estrela há quase 3 décadas, será às 20h do dia 16 de março, no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Estrela.

 

 

Histórico de Ademir Pivatto – Extraído da Mensagem Justificativa do Projeto de Lei 01/2019, de autoria do Vereador Márcio Mallmann (PP).

 

O homenageado, é natural da cidade de Roca Sales– RS, tendo nascido em 16 de janeiro de 1966, filho de Ibanor e Diva Anna Pivatto, sendo o quarto de cinco filhos, tendo como irmãos Ely, Elton, Adir e Eliana.

Ingressou na Faculdade Católica de Pelota, no curso de medicina em 01 de março de 1985, formando-se médico em 15 de dezembro de 1990.

No ano de 1990, iniciou residência médica na especialidade de Cirurgia do Aparelho Digestivo no Hospital Nove de Julho da cidade de São Paulo, integrando a equipe do renomado cirurgião Henrique Valter Pinotti, onde também conclui o curso de Ultrassonografia do Aparelho Digestivo.

Em 1993 retornou ao Rio Grande do sul e fixando residência na cidade de Estrela, passando a integrar o Corpo Clinico do Hospital Estrela, atuando como cirurgião geral e ultrassonografista do aparelho digestivo.

Foi aprovado pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e recebeu o Certificado de Habilitação em Ultrassonografia no ano de 1996, sendo posteriormente aprovado pelo Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva e recebe o Título de Especialista em Cirurgia Digestiva.

É conhecido em nossa cidade não somente pelo seu talento e dedicação no exercício da profissão de médico, mas também pela forma humanitária que trata seus pacientes,  independente da classe social ou econômica.

 

 

 

Assessoria de Imprensa